Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Que tal correr uma maratona... descalço!?

por CityJogger, em 24.09.10

 

Sim, uma Maratona, descalço, e ainda por cima com vistas para a Estátua da Liberdade!

 

O desafio será enfrentado pelo ultramaratonista Jason Robillard num evento que está a marcar o calendário desportivo alternativo nos Estados Unidos. Trata-se da 1.ª corrida descalça de Nova Iorque (soa melhor em Inglês: 1.st Annual New York City Barefoot Run).

 

Já há diversos eventos espontâneos de corridas descalças nos EUA, mas este parece ser o primeiro grande evento (com 500 corredores). De facto parece que este estilo de corrida, conhecido por zen running por alguns, está a ganhar tracção e popularidade. Pena é que fora dos EUA, sobretudo na Europa não se ouça falar mais destes estilos alternativos de corrida. Mas o tempo chegará certamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46

 

Não me canso de "impingir" aqui no blog a passada forefoot, uma passada de corrida mais natural, que tenta simular o que os nossos pés fazem naturalmente, quando andamos descalços. Mas também é verdade que é um pouco impraticável correr descalço, sobretudo em cidade, porque os pisos são irregulares, sujo, cheios de arestas e mesmo lixo e outros perigos...

 

É aqui que entram os Vibram FiveFingers. Trata-se de um conceito revolucionário (ou talvez mais retro, não sei bem) que consiste basicamente em tentar construir um par de ténis que envolve o nosso pé, protegendo-o apenas o mínimo necessário contra os riscos do meio ambiente em que temos de correr.

 

Há que lembrar que os ténis de corrida têm 30 e poucos anos. Foram inventados pelo fundador da Nike em 1972. E estudos têm provado que os corredores que usam ténis com menos espuma, com menos protecção, sofrem menos lesões. Os Vibram levam esta lógica ao extremo, deixando quase nada entre os pés e a estrada. Realmente é uma visão fascinante e ao mesmo tempo quase aterradora!

 

Claro que estes equipamentos têm as suas desvantagens, entre as quais um longo período de adaptação, pior protecção contra o piso irregular e desgaste rápido dos materiais, mas não deixam de ser intrigantes e inovadores. Penso, no entanto, que o melhor é mesmo ir pela via de um par de ténis o mais leve possível e com o menor suporte possível, e tentar imitar a passada "barefoot", insistindo em nunca cair com o pé no calcanhar - isso é o essencial. Ah, e tentar treinar descalço em relva. É uma das coisas que eu estou para tentar a algum tempo, mas infelizmente não tenho muita relva acessível... :)

 

Se têm curiosidade em ler mais sobre este tema, leiam este artigo da revista Wired. Também falam de outros ténis "minimalistas" mais tradicionais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:25


Adsense


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D