porque o melhor da vida passa a correr
comentar
publicado por CityJogger, em 26.03.12 às 21:20link do post | favorito

 

 

Num mundo cheio de vontade de apostar, o espírito competitivo é algo difícil de definir e, no entanto, é o que está verdadeiramente no centro da motivação de qualquer corredor. Porque é que corremos? Alguns correm para se superarem, outros correm para se sentirem melhor fisicamente, outros ainda para ultrapassarem obstáculos do seu passado. É neste sentido que eu defendo que cada um de nós, enquanto corredor, é um competitor nato, preparado para desafiar cada dia, cada lesão e cada prova. 

 

Acho particularmente importante realçar que um competitor não precisa de competir contra outros para expressar este espírito competitivo. Basta levarmos um cronómetro, ou então termos uma meta a atingir - uma distância por exemplo. Lembro-me perfeitamente bem dos meus primeiros tempos como corredor, em que cada obstáculo era definido por distâncias curtas que eu conseguia ou não fazer sem parar. Temos de compreender que a competição nos ajuda a sermos melhores e a melhorarmos a nossa corrida - sem desafios não há motivação e muitas das vezes o desafio pode apenas ser continuar a correr sem lesões, estar saudável e em forma razoável. Diminuir os níveis de stress através de exercício contínuo - eis o que eu considero o último e mais básico dos desafios que podem motivar qualquer corredor. 

 

É fácil de ver que aqui as apostas são altas mas a um nível individual. É uma corrida interna, em que nós apostamos em nós mesmos com o máximo de retorno assegurado logo à partida. E se vão competir com outros corredores em provas oficiais lembrem-se: a competição ocorre todas as vezes que saiem para correr, lutando contra os elementos, a fadiga, a preguiça, a falta de tempo ou as lesões. Vocês, por serem corredores, já são, por natureza, grandes competidores. 

 

Alguns pontos a realçar quando vamos a sério para uma competição: 

  • Lembrem-se que os outros corredores são também competidores
  • A competição é, em primeiro grau, contra nós próprios e em favor dos nossos objectivos
  • Vencer pode ser um conceito relativo - há pequenas e grandes vitórias
  • Perder também é um conceito relativo - para mim, perder uma corrida é sair lesionado
  • A competição nunca se deve sobrepor ao prazer da corrida
  • Se temos de escolher entre um bom tempo ou a nossa saúde, escolham sempre a saúde e abrandem
  • Não corram a corrida dos vossos concorrentes, corram a vossa corrida
  • A melhor estratégia numa corrida é uma estratégia pré-corrida que se pode adaptar dinâmicamente à corrida
Queria realçar este último ponto, que acho seja muito importante: quando vamos para uma competição é preciso ter a clara noção de que estamos no meio de outros competidores mas com uma estratégia pessoal, por exemplo acabar num determinado tempo ou posição. As corridas são muitas das vezes imprevisíveis, o nosso corpo pode reagir mal, pode estar mau tempo ou acontecer um imprevisto no percurso ou uma lesão. A nossa estratégia pré-corrida tem por isso de ser dinâmica e adaptar-se normalmente a qualquer imprevisto. Não é saudável termos o objectivo fixo antes de iniciarmos a competição - todos os objectivos devem por isso mesmo ser dinâmicos.

Este post foi gentilmente patrocinado pela bwin

Façam as vossas apostas de desporto aqui.




pesquisar