porque o melhor da vida passa a correr
comentar
publicado por CityJogger, em 31.01.12 às 14:28link do post | favorito

 

Quem lê este blog regularmente sabe que somos defensores da passada Forefoot, que é a passada em que o pé toca o chão apenas com a parte da frente e não com o calcanhar. Bem, agora podemos anunciar mais um estudo que defende este tipo de passada como aquela que origina a menor tendência para causar lesões.

 

A discussão continua e se há quem defenda o Forefoot strike, outros há que defendem o Rearfoot strike, sendo que nenhuma delas dá uma certeza a 100% no que toca à ausência de lesões. Pessoalmente eu tenho usado o Forefoot há algum tempo e com bons resultados, com um menor nível de lesões. Aliás, a única lesão persistente que tive nos últimos meses devia-se a um desiquilibrio na altura das minhas pernas e foi corrigida recentemente. A minha recomendação vai assim no sentido de experimentarem e verem que tipo de passada resulta melhor convosco. Existem agora no mercado imensas soluções de calçado minimalista que ajudam na transição. 

 


comentar
publicado por CityJogger, em 26.01.12 às 17:32link do post | favorito

 

Já aqui falei no miCoach da Adidas. Trata-se de um sistema de tracking de performance desportiva, à semelhança do Nike+ da Nike. A Adidas acabou de anunciar o lançamento de uma aplicação miCoach Running permite aos consumidores compilar e visualizar os seus dados de desempenho. A aplicação compila as informações a partir de um pequeno dispositivo que fica instalado nos ténis que são compatíveis com este sistema. 

 

Devo dizer que não sou um grande fã destes sistemas, embora me atraiam pela sua novidade e tecnologia. Ainda uso apenas um cronómetro de pulso bastante banal e faço assim uma medida crua da minha performance. Mas não escondo a vontade de experimentar um sistema destes e dar a minha opinião mais sincera e "mãos-na-massa".

 

Conheço quem use sistemas de tracking e tire assim um grande gozo da corrida, servindo os mesmos como motivação. Tudo o que nos motive a correr mais é bom, por isso não posso deixar de apoiar e noticiar estes lançamentos.

 

Dentro em breve espero escrever mais sobre este assunto, nomeadamente com uma review! 

 

 

tags:

comentar
publicado por CityJogger, em 21.01.12 às 20:48link do post | favorito

 

Quantas vezes se queixou de não ter tempo para fazer exercício? Muitas, de certeza. Temos todos horários preenchidos, seja com emprego, família, amigos, etc... e nunca há tempo para nos dedicarmos ao nosso corpo. Mas e se nós já estivessemos a fazer exercício no dia-a-dia, mas sem dar por isso?

 

A realidade é que muitas das vezes não prestamos atenção à quantidade de exercício que fazemos no dia-a-dia.  Seja a subir escadas, falarmos com os nossos colegas, a mexer os braços, a ir e vir de reuniões, a ir do carro ou dos transportes para o escritório...

 

Estamos sempre a gastar energia e a Nike apresentou um produto a pensar nisso mesmo, chama-se FuelBand e mede as calorias que gastamos no nosso quotidiano, com as tarefas mais mundanas, medindo-as e dando-nos uma noção do nosso gasto calórico no dia-a-dia. Trata-se claramente de um gadget muito específico e sem grande utilidade para o corredor habitual, mas usei-o para ilustrar um ponto: os nossos treinos também decorrem no dia-a-dia. Devemos procurar andar mais, subir escadas em vez de usar o elevador, sempre de acordo com um plano diário para que o exercício faça sempre parte da nossa rotina, mesmo nos dias em que não vamos correr. Isto ajuda-nos aerobicamente, ajuda-nos a manter a forma e a correr melhor quando de facto finalmente calçamos os nossos ténis! 


Boas corridas (e bons treinos no dia-a-dia)!


comentar
publicado por CityJogger, em 13.01.12 às 14:34link do post | favorito

 

Uma das principais lições que aprendemos na nossa carreira de corredores é a ouvir o nosso corpo. Já perdi o número de vezes que, ao correr, subtis sensações físicas me deram a entender exactamente o que estava a passar com diferentes partes de mim. Um ligeiro cansaço reflectido no ritmo da respiração, ligeiras dores de esforço nos membros inferiores ou mesmo cansaço ligeiro em termos de focagem dos olhos - tudo isto pode indicar que a corrida deve ser ajustada em tempo real para que não tenhamos lesões. 

 

No dia-a-dia podemos aplicar os mesmos princípios. Penso que os corredores são especialmente habilitados para ouvir o seu próprio corpo, pois deixamos de poder ignorar os sinais às vezes mínimos, que ele nos transmite. Seja uma ligeira dor de costas, uma dor de cabeça ou um stress localizado muscular, o corredor experiente aprende a entender o significado de todos eles e como lidar com eles, muitas das vezes com antecipação face a uma "pessoa normal". 

 

Esta é, penso, uma das grandes vantagens desconhecidas de correr. 




pesquisar
 
subscrever feeds