porque o melhor da vida passa a correr
comentar
publicado por CityJogger, em 20.01.11 às 14:21link do post | favorito

 

Como já anunciei, comprei há pouco uma passadeira onde comecei a fazer os meus treinos durante a semana. Ora, o que eu não estava à espera era de um aspecto menos negativo do uso da mesma: ansiedade de corredor :-|

 

Eu explico: geralmente correr na rua é um exercício bastante motivador. Às vezes a parte complicada é sairmos de casa para ir correr e não propriamente o acto da corrida em si. Já na passadeira, as coisas invertem-se completamente. Passamos a ter de nos motivar durante a corrida, o que se torna num desafio bastante interessante.

 

Experimentei ouvir música... experimentei ver televisão... mas nada estava a resultar. Realmente tornou-se uma experiência muito frustrante. Mas acho que já comecei a perceber a psicologia da passadeira, por assim dizer. O facto é que para nos motivarmos a correr num espaço fechado, não há nada realmente indicado a que possamos recorrer. Nenhuma ajuda externa pode obviar ao facto de não termos distracções visuais activas (como a paisagem a passar).

 

Cheguei à conclusão que podia pensar nas coisas ao contrário. Se não podemos distrair-nos, podemos tentar não ficar desmotivados, ou seja, atacar o problema na sua raiz. E a raiz do problema está no facto de vermos o tempo a passar. O meu conselho: tirem o relógio do ecrã da passadeira e substituam-no pelo contador de distância. Penso que é realmente a única coisa que pode realmente ajudar, porque nos tira o foco dos minutos a passar e podemos ocupar o pensamento com outras coisas (ou esvaziá-lo totalmente).


Richard a 20 de Janeiro de 2011 às 14:57
É realmente chato. Mas eu acho que ajuda ter um objectivo bem definido antes de começar, seja de tempo ou distancia. E não parar antes de o atingir.

mancha a 20 de Janeiro de 2011 às 15:08
É de facto complicado. Eu resolvo a coisa com objectivos e com música a puxar por mim. O ritmo eleva-se e corre-se sempre mais que na rua. A minha luta agora é arranjar play-lists motivadoras, pois vou-me fartando de algumas. Mas é um bicho giro de domar. Se não corro um dia ou outro lá, nem me sinto bem. O facto de se poder brincar com a velocidade dá para testar os nossos limites de maneira diferente da rua. Parabéns pelo blog.

CityJogger a 20 de Janeiro de 2011 às 15:15
Olá aos dois e obrigado pelas visitas :)

De facto é bom ver que não sou o único a debater-me com estes problemas.

Filipa a 26 de Fevereiro de 2011 às 14:12
De facto concordo com a teoria de que correr na passadeira pode-se revelar bastante desmotivador pela inexistência de paisagens, contudo cá vai o meu conselho (que eu própria utilizo): definir antes de iniciar o treino um determinado tempo como meta a atingir, e então depois basta aplicar a força de vontade de corredor e o desejo de chegar longe.
Correr em espaços ao ar livre tem a desvantagem de não conseguirmos controlar a velocidade a q corremos. Afinal, é tudo uma questão de hábito ;)

CityJogger a 26 de Fevereiro de 2011 às 14:22
Olá Filipa. Obrigado pelo sua visita e pelo comentário. A passadeira tem sido um desafio muito interessante e a sua dica pode certamente ajudar. Dentro em breve vou voltar ao assunto.



pesquisar